fbpx

Limites saudáveis: um guia para Pessoas Altamente Sensíveis

Limites saudáveis: um guia para Pessoas Altamente Sensíveis

Devido ao seu alto grau de empatia, um traço comum a muitas Pessoas Altamente Sensíveis (PAS) é a dificuldade em dizer NÃO sem se sentirem culpados.

Mas já o Steve Jobs (cofundador da Apple Inc.) costumava dizer que Focar-se é dizer NÃO.

No nosso dia a dia quanto mais dizemos SIM quando queríamos responder NÃO, mais cansados e frustrados ficamos. Ao aprendermos a estabelecer barreiras saudáveis estamos a evitar situações limites de esgotamento, ressentimento, ansiedade, fadiga ou emoções difíceis.

De facto, a psicoterapeuta Dra Julie Bjelland, especialista em PAS, refere a importância de tomar decisões tendo em conta a alta sensibilidade, de modo a garantir o nosso bem-estar.

Abaixo partilho contigo 3 passos que podes tomar para começar a estabelecer limites saudáveis na tua vida.

  1. ENTENDE QUE TENS UMA ESCOLHA


    Os limites saudáveis baseiam-se no respeito por si próprio. Significam que conseguimos desenhar uma linha entre “nós” e o “outro” e compreender que temos o direito e dever de fazer uma escolha consciente. Por exemplo, a quem escolhemos dar a nossa energia e como escolhemos tomar conta de nós.

    Não se trata de bloquear a compaixão, isolar-se do mundo ou construir um muro de separação. Trata-se sim, de também nos termos em conta quando tomamos uma decisão e entender que não somos responsáveis por tudo e todos. Ao interiorizar que temos uma escolha, um mundo de possibilidades abre-se perante nós.

    Observa o teu dia-a-dia e entende se de alguma forma estás a renunciar à tua liberdade de escolha. Há alguma situação em que estejas a perder a tua energia porque não sabes estabelecer limites? De alguma forma sentes a obrigação de dizer sempre que sim?

  2. O QUE SENTES AO DIZER SIM?


    Vamos imaginar que nos pedem ajuda e a nossa resposta, sem sequer pensar nas nossas necessidades, é SIM.

    Se depois de dizermos SIM começamos a pensar que na verdade não tenho tempo“, “vou ter de cancelar os meus planos“, “estou a dar mais do que recebo“, “ele nem merece” ou até sentimos uma reação de irritação no corpo, então é porque, na verdade, o nosso SIM era um NÃO.

    Para a próxima, antes de responder experimenta fazer-te a pergunta poderosa:
    — Ao dizer sim, estou a ter em conta as minhas necessidades?

    Com esta simples pergunta podes aprender a reconhecer as tuas prioridades e evitar situações de ressentimento. Escuta o teu corpo e a tua intuição.

  3. É A NOSSA RESPONSABILIDADE


    Por vezes surge a tentação de dizer que SIM a algo, esperando que a outra pessoa repare que estamos a exceder os nossos limites e volte atrás no seu pedido.

    No entanto, há algo de que devemos estar muito conscientes:
    — Os outros não podem adivinhar as necessidades de um sistema nervoso altamente sensível ou as nossas necessidades individuais.

    Por isso, é da nossa inteira responsabilidade estabelecer os limites que garantam o nosso bem-estar.

Tem em conta que o processo de aprender a estabelecer barreiras saudáveis pode levar tempo. Sê gentil contigo. Não te auto-censures por isso. E, se entrares no transe do não merecimento, pratica RAIN para te libertares desse auto-criticismo.

Quer isto dizer que nunca vamos dizer SIM quando isso vai exceder os nossos limites? Isso vai depender das prioridades e valores de cada um. No meu caso, quando é por uma causa que me é justa eu ainda excedo os meus limites. Mas com muita consciência para não entrar em burn out (o que me sucedeu mais de uma vez por querer ajudar tudo e todos). É a tal liberdade de escolha (consciente).

Estabelecer limites saudáveis deve ser um dos teus focos. Elas são a tua responsabilidade, o teu direito, e a tua maior fonte de dignidade.

Elaine Aron

E tu, tens dificuldade em estabelecer limites? Partilha na secção de comentários a tua experiência.

Partilha com o Mundo:

4 thoughts on “Limites saudáveis: um guia para Pessoas Altamente Sensíveis

  1. Olá, Sofia.

    Respondendo à pergunta que deixas, sim, tenho alguma dificuldade em dizer não. Por vezes, até é algo inconsciente. Com o entusiasmo aceito muita coisa e, depois de resposta dada e proposta aceite, fico a pensar se deveria ou não ter aceite.

    Atualmente já vou percebendo esta minha dificuldade com outra consciência. Também por ajudas que me foram chegando. E também porque atualmente observo muitas situações a acontecerem na minha Vida que me estão a obrigar, que me estão a dar a oportunidade de dizer “Não”. Além disso, reparo que quando digo que não consigo, algumas vezes, ter esse tempo entre a pergunta e a resposta que me permite pensar o que realmente quero e o que realmente naquele momento é o mais saudável para mim.

    Tenho acompanhado este teu novo rumo pelo campo das PAS e tenho-me identificado com muitas das questões que trazes.
    Estou a ler o livro da Elaine e tentar aprofundar este tema.
    E, por isso, quero agradecer-te.

    Um abraço,

    Ana

    1. Obrigada pelo teu feedback Ana.

      De facto, um dos “truques” para ganhar esse tempo que tu mencionas: “reparo que quando digo que não consigo, algumas vezes, ter esse tempo entre a pergunta e a resposta que me permite pensar o que realmente quero e o que realmente naquele momento é o mais saudável para mim” é responder que “tenho de consultar a minha agenda”, “agora não posso responder mas já te contacto” e assim estamos a ganhar espaço para fazer a nossa avaliação e responder da forma que é melhor para ambas as partes.

      E, já agora: Bem-vinda à jornada da Alta Sensibilidade 🙂

      beijinhos,
      Sofia

    1. Vamos então a meter em prática estas dicas. A mim ajuda-me muito entender que é da minha responsabilidade entender os meus limites e não estar À espera que os outros adivinhem as minhas necessidades como Pessoa Altamente Sensível. Obg pelo feedback Ana, é sempre um prazer “ouvir-te”.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.