fbpx

Alta Sensibilidade: um GPS para tomar boas decisões

Alta Sensibilidade: um GPS para tomar boas decisões

Com frequência as Pessoas Altamente Sensíveis levam tempo a tomar decisões e podem até ficar bloqueadas no processo. Por isso, vou partilhar contigo algumas estratégias que te vão ajudar.

Não sei quanto a ti, mas cada vez que tenho de decidir algo meto em ação todo um processo de avaliação em que peso todos os pros e contras da questão. E isto aplica-se a coisas tão comuns como decidir que sapatos vou comprar, ao destino de uma viagem ou até decidir quando já BASTA de uma situação.

O engraçado é que eu pensava que isto era só eu. Mas a verdade é que segundo as investigações da Dra Elaine Aron, a dificuldade em tomar decisões é uma característica muito comum no traço de temperamento das Pessoas Altamente Sensíveis devido ao facto de que (1) processamos toda a informação de uma forma profunda e (2) temos consciência de todos os detalhes.

Mas levar tempo a tomar uma decisão não é um problema. É até bom ter a oportunidade de fazer escolhas conscientes. O que sim pode tornar-se um obstáculo é ficar paralisado quando se tem de tomar uma resolução (paralisia por análise). Isto pode levar a situações de frustração, tanto nossa como de quem nos rodeia, e até colocar com frequência nas mãos dos outros as decisões que devemos ser nós a tomar tirando-nos o poder de direcionar a nossa vida.

Abaixo partilho contigo 3 passos que podem ajudar-te a acelerar o processo de decisão.

  1. A IMPORTÂNCIA DE TER UM CÓDIGO DE VALORES


    Já há algum tempo que uso o meu código de valores como GPS no que toca a fazer escolhas na minha vida.

    Por exemplo: sendo ambientalista (valor), sempre que possível uso transportes públicos ou a bicicleta (decisão); como levo o meu trabalho a sério (valor), não aceito propostas que sei que não tenho tempo de realizar (decisão); devido ao meu grau de empatia (valor) quando um amigo precisa de mim eu arranjo sempre tempo para ele (decisão).

    Mas igualmente importante é teres uma ordem de prioridades nos teus valores e princípios.

    Por exemplo: lembro-me sempre de o caso de uma mulher empreendedora comentar que os valores dela por ordem era: (1) família (2) liberdade (3) sucesso financeiro. Quando um dia lhe fizeram uma proposta milionária que significava estar pouco tempo com a família e cortar a sua liberdade a resposta dela foi rápida: NÃO! (porque a família e a liberdade vinham em primeiro lugar).

  2. ACEITA QUE NÃO SE PODE “GANHAR” SEMPRE


    As grandes decisões da nossa vida normalmente têm algo em comum: é que para ganhar algo, provavelmente vamos ter de abdicar de alguma coisa.

    Se aceitarmos que é assim e usarmos o nosso código de valores no processo de decisão então, mesmo que naquela altura pareça que estamos a cometer um erro, mais tarde quando olharmos para trás vamos entender que mesmo que não tenhamos acertado a cem por cento: (1) seguimos os nossos valores (2) aprendemos algo. Além disso, recorda que podes ter sempre um plano B caso as coisas não deem certo.

    Uma boa estratégia para decisões difíceis é escrever uma lista com todos os pros e contras de uma situação e ver para que lado pende a balança. Podes até classificar cada factor numa escala de 1-10 de o quão confortável ele te faz sentir.

  3. TOMA EM CONTA AS TUAS NECESSIDADES


    Como já referi no artigo Barreiras saudáveis, há um factor importante a ter em conta quando tomamos uma decisão: as nossas necessidades.

    Não te esqueças de colocar as tuas necessidades na mesa e se já aprendeste a confiar na tua intuição agora é altura de usá-la.

    No caso da tua decisão afetar / envolver diretamente outra(s) pessoa(s) há que recorrer a um diálogo sincero em que expressas as tuas preocupações.

    Se tens dificuldade em expressar-te bem há que aprender algo sobre como gerir conflitos. O livro Comunicação Não Violenta de Marshall Rosenberg é um bom ponto de partida. Aqui tens a versão em Português. Para quem prefere a versão original em inglês clica AQUI. Se estás no Brasil podes encontrar este livro na amazon do Brasil.

Por último, tem em conta que quando quiseres pedir uma opinião / conselho é importante contactares alguém que saiba de o que estás a falar, que te ouça verdadeiramente e que tenha nova informação que traga luz ao teu dilema.

As boas decisões vêm da experiência. A experiência vem de tomar más decisões.

Mark Twain

E tu, quais os teus desafios em tomar decisões? Há algum aspeto que eu não tenha abordado? Partilha na secção de comentários a tua experiência.

Partilha com o Mundo:

4 thoughts on “Alta Sensibilidade: um GPS para tomar boas decisões

  1. Tenho muita dificuldade em tomar decisões. Sou muito indecisa, mas estes passos são uma boa ajuda. Muito grata

    1. Obg pelo feedback Adelaide. De feito, isto vai com a prática. É questão de começar e seguir a jornada. Namaste, Sofia

  2. A tomada de decisões, o fazer escolhas não é fácil. Ao ler esta publicação dei-me conta que não tenho os meus valores hierarquizados! Vou começar por aí.
    Grata Sofia pela partilha do seu conhecimento!

    1. Muito obrigada Teresa pelo feedback. É muito importante eu entender qual a vossa opinião para continuar a entregar conteúdo de valor. Para mim os valores e as suas prioridades são o meu grande leme na tomada de decisões e, curiosamente, é algo que pouco se fala no contexto deste tema. Beijinhos e vmaos nos mantendo em contacto. Sofia

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.